quarta-feira, 30 de junho de 2010

Direção do Náutico-PE explica saída de Carlinhos Bala

Superesportes

A diretoria do Náutico, representada pelo diretor de futebol Armando Ribeiro, concedeu uma entrevista coletiva à imprensa, na tarde desta quarta-feira, para esclarecer os reais motivos da saída de Carlinhos Bala do Timbu.

Armando explicou que tudo começou porque o jogador queria abandonar a concentração em razão do atraso salarial. "Ele se reuniu com alguns jogadores e chamaram o treinador. Bala se disse insatisfeito, não queria ficar no hotel e iria para casa, deixando a concentração. Logo, reunimos a diretoria e decidimos que, por mais uma indisciplina dele, que eu chamo grave, ele seria dispensado".

O diretor negou as primeiras informações que apontavam para um atraso de três meses nos salários no Náutico. Segundo o dirigente, a verdade é que o atacante se irritou porque os pagamentos que são realizados todo dia 25 de cada mês não aconteceram ainda em junho. Ou seja: os salários estão com um mês de atraso.

"Estão falando muito de salários, mas só temos um mês de atraso. O pagamento venceu no dia último dia 25, hoje é 30. Não caberia essa atitude por conta de três dias. Por isso e outras indisciplinas ele foi afastado", explicou.

Armando ainda relembrou que essa não é a primeira vez que Bala comete um ato de indisciplina. Ele revelou atos incorretos praticados pelo jogador. No fim, Armando Ribeiro agradeceu ao atleta pela passagem dele no Timbu, desejando-lhe sorte.

"Alguns fatos já tinham acontecido. Ele foi expulso por jogar a bola no rosto de um atleta (contra o Central, pelo pernambucano), e eu o multei. Ele passou alguns dias sem falar comigo, inclusive. Outra vez, ele trocou camisas quando não podia. Tívemos que entrar com uma camisa que não tinha patrocinador e acabamos punidos por isso. Ninguém é mais criança. Por fim, pelo desrespeito com os colegas e ao treinador, resolvemos tomar essa atitude. Não é essa a imagem de líder que queremos para o nosso grupo. Agradeço a ele como ele deve ser agradecido ao que o Náutico fez por ele", finalizou o cartola.

Goleiro boliviano é suspenso por 20 jogos após pisão em árbitro

Das agências internacionais em La Paz, Bolívia

O goleiro do Bolívar-BOL, Carlos Arias, foi suspenso por 20 jogos depois de dar um pisão em um árbitro local para protestar contra sua expulsão em um jogo oficial, informou nesta quarta-feira o próprio jogador.

"Cortaram-me as mãos, porque eu não vou jogar até o próximo ano na melhor das hipóteses", disse à imprensa local o goleiro Arias, de 30 anos, depois de ouvir a decisão do Tribunal de Justiça Desportiva (TJD).

O relatório do juiz Ivan Gamboa entregue ao TJD sugere que o goleiro deu um pisão em protesto após a sua expulsão, durante o jogo há uma semana, quando o clube perdeu para o Real Potosí-BOL na primeira partida da quartas de final do torneio playoff final do Campeonato Nacional.

A punição é válida para o torneio local, já que o Bolívar assegurou possibilidades de atuar no exterior.

Carlinhos Bala deixa o Náutico-PE

Justiça Desportiva

Por essa o torcedor não esperava. Na tarde desta quarta-feira, dia 30 de junho, o Náutico informou a rescisão com o atacante Carlinhos Bala. Na verdade, o atleta foi que pediu as contas à diretoria alvirrubra, e agora vai procurar um novo clube para o restante da temporada 2010. O motivo que levou o atleta a tomar tal atitude foi a falta de pagamento dos salários.

Segundo uma fonte próxima ao atleta, "Carlinhos era o capitão do time e estava tentando ao máximo resolver os problemas financeiros do grupo como um todo. No entanto, a diretoria não acertou as dívidas salariais do elenco que já duram aproximadamente três meses", explicou a fonte ao jornal Diário de Pernambuco, e que preferiu não se identificar.

A reportagem do jornal local ainda entrou em contato com o jogador, que preferiu não comentar sobre o fato. "Agora não vou falar, tudo bem?", resumiu-se. Já a assessoria de imprensa do Náutico confirmou a informação e marcou uma entrevista coletiva para o fim da tarde desta quarta-feira, onde será esclarecida a saída de Carlinhos Bala.

Confira a nota oficial emitida pelo clube:

O Clube Náutico Capibaribe vem através desta, comunicar que a partir de hoje, 30 de junho, o atacante Carlinhos Bala não faz mais parte do elenco alvirrubro.

Um novo ato de indisciplina do jogador motivou a sua dispensa do Náutico.

Árbitros: se não quiserem erros, é melhor jogar videogame

Terra

Depois das inúmeras críticas sofridas pela arbitragem da Copa do Mundo, devido aos erros do italiano Roberto Rosetti e do uruguaio Jorge Larrionda, os outros juízes saíram em defesa dos companheiros, como o mexicano Armando Archundia. Ao ser questionado sobre o uso de tecnologia no esporte, o árbitro disse que o futebol deve se manter como está, senão vira videogame.

"Os atletas do futebol são seres humanos, assim como os árbitros. Acho que devemos seguir assim, senão é melhor jogar Nintendo Wii... lá é tudo quase perfeito, mas também tem erros, já que é só apertar um botão errado", disse.

Sobre a utilização de imagens da televisão para diminuir os erros da arbitragem, o também mexicano Marco Rodríguez afirmou que os árbitros têm o que é necessário para evitar erros. "Acredito que devemos seguir nosso trabalho, seguir nos preparando para tomar as melhores decisões", disse.

Por fim, Archundia afirmou que não há crise no quadro de arbitragem, já que ocorreram erros graves apenas contra as seleções de México (derrota por 3 x 1 para a Argentina) e Inglaterra (derrota por 4 x 1 para a Alemanha).

"Foram quase 54 partidas e só falam de duas situações, então acredito que a preparação tem sido boa. Encerraremos esta Copa com 'chave de ouro'", disse.

terça-feira, 29 de junho de 2010

Villa faz gol da vitória e Espanha está nas quartas

Redação e agências nacionais

A Espanha avançou às quartas de final da Copa do Mundo, em um jogo onde tomou a iniciativa desde o começo, e passou por Portugal, com gol do atacante David Villa, algumas imagens alegam que ele estaria centímetros adiantado, mas mesmo assim deu Espanha, no jogo realizado no Estádio Green Point, na Cidade do Cabo.

Eduardo fez boas defesas durante todo o jogo, pois foi solicitado, a Espanha mandou chumbo pra cima dele, e as defesas estimularam os torcedores portugueses, já o ataque decepcionou.

Villa fez o gol da vitória aos 18 minutos do segundo tempo da etapa final, o quarto dele no Mundial. O espanhol divide a artilharia do torneio com o argentino Higuaín e o eslovaco Vittek. O duelo de quartas de final será contra o Paraguai, em Johannesburgo, no próximo sábado, às 15h30 (de Brasília).

Ficha do jogo:

Espanha 1 x 0 Portugal

Local: Estádio Green Point, Cidade do Cabo

Gol
Espanha: David Villa, aos 18min do 2º tempo

Cartões amarelos
Espanha: Xabi Alonso
Portugal: Tiago

Cartão vermelho
Portugal: Ricardo Costa

Espanha: Casillas; Sergio Ramos, Piqué, Puyol e Capdevila; Busquets e Xabi Alonso (Marchena); Iniesta, Xavi e David Villa (Pedro); Fernando Torres (Llorente). Técnico: Vicente del Bosque

Portugal: Eduardo; Ricardo Costa, Ricardo Carvalho, Bruno Alves e Fábio Coentrão; Pepe (Pedro Mendes), Tiago e Raul Meireles; Simão (Liédson), Hugo Almeida (Danny) e Cristiano Ronaldo.
Técnico: Carlos Queiroz

Paraguai vence Japão nos pênaltis e faz história

Redação e agências nacionais

O jogo foi muito fraco, emoções mesmo só de divididas no meio, e no final, onde o Paraguai acabou vencendo a batalhadora seleção do Japão nos pênaltis, por 5 x 3, após empate sem gols no tempo normal e na prorrogação, e fez história. Pela primeira vez o Paraguai chegou às quartas de final de uma Copa do Mundo.

Também será a primeira vez na história que a América do Sul terá quatro países nesta fase da Copa do Mundo. Apenas o Chile foi eliminado, no confronto contra o Brasil.

Três europeus e um africano completarão a fase de quartas de finais. Em duelos contra países de outros continentes, os países sul-americanos só perderam uma vez, no confronto entre Espanha e Chile.

Na primeira disputa por pênaltis da Copa, o Paraguai teve 100% de aproveitamento, converteu as cinco cobranças, já o Japão cobrou quatro vezes, mas o lateral direito Komano acertou a trave.

Ficha do jogo:

Paraguai 0 (5) x (3) 0 Japão

Local: Loftus Versfeld, em Pretória

Disputa por pênaltis:
Paraguai: Barreto (gol), Barrios (gol), Riveros (gol), Valdez (gol) e Cardozo (gol)
Japão: Endo (gol), Hasebe (gol), Komano (trave) e Honda (gol)

Cartões amarelos
Paraguai: Riveros
Japão: Matsui, Honda, Endo e Nagatomo

Paraguai: Villar; Bonet, Paulo da Silva, Alcaraz e Morel Rodríguez; Ortigoza (Barreto); Vera e Riveros; Benítez (Valdez), Santa Cruz (Cardozo) e Barrios
Técnico: Gerardo Martino

Japão: Kawashima; Komano, Nakazawa, Tanaka e Nagatomo; Hasebe; Matsui (Okazaki), Abe (Kengo Nakamura), Endo e Okubo (Tamada); Honda
Técnico: Takeshi Okada

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Morre, aos 75 anos, ex-atleta olímpico João Gonçalves Filho

Uol

O ex-atleta olímpico João Gonçalves Filho morreu, aos 75 anos, nesse domingo em São Paulo. Como atleta, ele participou de cinco edições dos Jogos Olímpicos, sendo duas na natação (Helsinque 1952 e Melbourne 1956) e três no polo aquático (Roma 1960, Tóquio 1964 e Cidade do México 1968).

Ele foi ainda o porta bandeira da delegação brasileira nos Jogos de 1968. João Gonçalves Filho foi também técnico da seleção brasileira de judô nos Jogos Olímpicos Barcelona 1992 e Atlanta 1996 e era o chefe do departamento de judô do clube Pinheiros.

Em nota, o Comitê Olímpico Brasileiro (COB) manifestou o “mais profundo pesar” pela morte de João Gonçalves Filho e destacou sua “dedicação ao esporte e seu exemplo como desportista”, que lhe valeram o Troféu Adhemar Ferreira da Silva, concedido pelo COB em 2002, durante a cerimônia do Prêmio Brasil Olímpico.

A Confederação Brasileira de Judô (CBJ) informou que o corpo de João Gonçalves Filho será cremado no Horto da Paz (Rodovia Regis Bittencourt km 290), às 17h.

O presidente da CBJ, Paulo Wanderley Teixeira, lamentou, em nota, a morte de “um dos principais personagens olímpicos do Brasil”. "João Gonçalves sempre foi apaixonado pelo esporte e fez dele a sua vida. Poucos brasileiros podem se orgulhar de terem estado em sete olimpíadas e dou meus pêsames aos familiares e amigos", disse.

O coordenador técnico internacional da CBJ, Ney Wilson, também manifestou seu pesar. "João Gonçalves sempre formou grandes equipes e excelentes atletas no Esporte Clube Pinheiros. Sua contribuição foi enorme para o esporte olímpico brasileiro", afirmou.

Com 3 x 0 sobre o Chile, Brasil avança às quartas

Redação e agências nacionais

Um mata-mata já foi, agora, depois do Chile o Brasil terá a poderosa Holanda pela frente. Hoje a Seleção Canarinho bateu o Chile por 3 x 0, no estádio Ellis Park, em Johannesburgo, pelas oitavas de final da Copa do Mundo da África do Sul. Juan, Luís Fabiano e Robinho balançaram as redes.

Junto com a Argentina, a Holanda é a outra única equipe com 100% de aproveitamento até agora na competição. Venceu Dinamarca (2 x 0), Japão (1 x 0) e Camarões (2 x 1) na primeira fase. Nas oitavas, passou pela Eslováquia (2 x 1). Sem esquecer que conta ainda com o crescimento de produção do craque Robben, recuperado de lesão.

Quem passar do confronto Brasil x Holanda enfrentará no dia 6 de julho, na Cidade do Cabo, o vencedor do duelo entre Uruguai x Gana, marcado também para a sexta-feira, em Johannesburgo, às 15h30 (de Brasília).

Dunga não teve Felipe Melo e Elano, e precisou escalar Daniel Alves e Ramires nas vagas. Já o técnico argentino Marcelo Bielsa mostrou que não estava blefando e colocou a seleção chilena no ataque, tendo montado o time titular com quatro jogadores ofensivos.

Na primeira fase o Brasil enfrentou adversários que se negaram a atacar, Coreia do Norte (2 x 1), Costa do Marfim (3 x 1), e Portugal (0 x 0) , mas contra o Chile, os comandados de Dunga finalmente encontraram um time que se expõe, joga e acaba cedendo espaços para o adversário.

Mas mesmo assim, ainda precisou de uma jogada de bola parada para abrir o placar, com o zagueiro Juan, que aproveitou cobrança de escanteio. Já no segundo gol a história foi diferente, a bola foi trabalhada, antes de chegar às redes, passeou nos pés de Robinho, que passou para Kaká, que deu uma ótima assistência para Luís Fabiano, que depois do drible no goleiro Bravo marcou.

Kaká apresentou um futebol melhor do que nas partidas anteriores, já Robinho, poupado contra Portugal por causa de dores musculares, tinha uma atuação apagada até balançar a rede no segundo tempo, depois de bela jogada individual e assistência de Ramires, que levou seu segundo amarelo na competição e não poderá ser escalado contra a Holanda.

Com o gol, Luís Fabiano se manteve na briga pela artilharia. Higuaín (Argentina) e Vittek (Eslováquia) lideram com quatro gols cada, enquanto o brasileiro divide a segunda posição com mais cinco goleadores: David Villa (Espanha), Gyan (Gana), Luis Suárez (Uruguai), Thomas Müller (Alemanha) e Donovan (Estados Unidos), este último já eliminado.

A Holanda entra no caminho brasileiro pela terceira vez nas últimas cinco Copas. Em 1994, o Brasil passou pela Holanda com gol decisivo de Branco, vencendo por 3 x 2, também nas quartas de final. No Mundial seguinte, o duelo se repetiria nas semifinais. A partida terminou empatada em 1 x 1 e teve vitória verde-amarela nos pênaltis.

Ficha do jogo:

Brasil 3 x 0 Chile

Local: Ellis Park Stadium, em Johannesburgo

Gols
Brasil: Juan, aos 34min, Luís Fabiano, aos 38min do 1º tempo e Robinho, aos 14min do 2º tempo

Cartões amarelos
Brasil: Kaká e Ramires
Chile: Vidal, Millar e Fuentes

Brasil: Júlio César; Maicon, Lúcio, Juan e Michel Bastos; Gilberto Silva; Daniel Alves e Ramires; Kaká (Kléberson); Robinho (Gilberto) e Luís Fabiano (Nilmar)
Técnico: Dunga

Chile: Bravo; Isla (Millar), Fuentes, Contreras (Tello) e Vidal; Carmona e Carmona; Alexis Sánchez, Beausejour e Mark González (Valdívia); Suazo
Técnico: Marcelo Bielsa

Holanda vence e vai as quartas de final da Copa

Redação e agências nacionais

Com uma boa atuação de Robben, a Holanda venceu a Eslováquia por 2 x 1, no Durban Stadium, em Durban, consquistando assim a quarta vitória em quatro jogos na Copa do Mundo. O bom time laranja conseguiu avançar mais uma vez às quartas de final e agora espera o vencedor de Brasil x Chile, que ainda hoje será conhecido.

Mais uma vez a Holanda não apresentou o esperado futebol que todos sabem que os seu jogadores têm capacidade de desempenhas, mas os comandados do técnico Bert van Marwijk conseguiram despachar uma das surpresas do Mundial até aqui. Contrariando a opinião da maioria, os eslovacos superaram e eliminaram a Itália na primeira fase, ocasionando uma das maiores zebras desta Copa.

Robben marcou um gol da maneira mais peculiar, após receber um belo passe em profundidade de Sneijder, o atacante ganhou de Zabavnik na corrida, cortou para o meio e bateu rasteiro no canto com a perna esquerda.

Os eslovacos tentaram, mas pararam nas mãos de Stekelenburg. Mas quem teve mais trabalho foi o arqueiro eslovaco Mucha, que fez boas defesas nas chegadas do poderoso ataque holandês com Sneijder, Robben, Van Persie e Kuyt.

E mesmo no fim do jogo a bola foi para as redes por duas oportunidades, Sneijder marcou para os holandeses, e Vittek, cobrando pênalti, aos 49 minutos diminuiu para a Eslováquia e se igualou ao argentino Higuaín, também dono de quatro gols na Copa.

Ficha do jogo:

Holanda 2 x 1 Eslováquia

Local: Moses Mabida Stadium, em Durban

Gols
Holanda: Robben, aos 18min do 1º tempo, e Sneijder, aos 38min do 2º tempo
Eslováquia: Vittek, aos 49min do 2º tempo

Cartões amarelos
Holanda: Robben e Stekelenburg
Eslováquia: Skrtel, Kucka e Kopunek

Holanda: Stekelenburg; Van der Wiel, Heitinga, Mathijsen e Van Bronckhorst; De Jong e Van Bommel; Robben (Elia), Sneijder (Afellay) e Kuyt; Van Persie (Huntelaar)
Técnico: Bert van Marwijk

Eslováquia: Mucha; Pekarik, Skrtel, Durica e Zabavnik (Kopunek); Kucka e Hamsik (Sapara); Stoch, Weiss e Jendrisek (Kopunek); Vittek
Técnico: Vladimir Weiss

domingo, 27 de junho de 2010

Argentina passa pelo México e encara Alemanha nas quartas

Redação e agências nacionais

Com dois gols de Tevez, a Argentina passou pelo México nas oitavas de final, assim como em 2006, e também como naquela Copa, os argentinos agora terão pela frente a Alemanha. A vitória deste domingo por 3 x 1, também fica marcada pelo primeiro gol, em posição de impedimento.

Desde a Copa de 1990, a Argentina não conseguia vencer um jogo eliminatório de Copa do Mundo em 90 minutos, quando bateu o Brasil nas oitavas de final por 1 x 0. Já o México caiu nas oitavas pelo quinto Mundial consecutivo.

As duas equipes tiveram pequenas surpresas em suas escalações iniciais neste domingo. Do lado argentino, Maradona preferiu Maxi Rodríguez no meio de campo, deixando o experiente Verón no banco de reservas. O técnico mexicano Javier Aguirre também barrou jogadores veteranos: os atacantes Blanco e Guille Franco deram lugar a Bautista e Javier Hernández entre os titulares.

Logo nos primeiros minutos, o México assustou em duas oportunidades, primeiro no lance onde de longe Salcido "soltou o caroço" e o goleiro Romero espalmou de forma estabanada, a bola ainda tocou no travessão. Pouco depois, Guardado soltou outra bomba de fora da área, que passou muito perto do gol argentino.

Os argentinos passaram a tocar a bola, para diminuir o ritmo que os mexicanos tentavam impor ao jogo. Até que aos 25 minutos, Messi tentou uma enfiada de bola para Tevez, que foi abafado pelo goleiro Pérez; a bola voltou para Messi e o meia-atacante alçou a bola novamente para Tevez, cerca de um metro impedido, cabecear para as redes.

Os jogadores do México reclamaram muito e o auxiliar fez menção de voltar atrás e anular o lance, depois que as imagens mostrando o claro impedimento de Tevez foram exibidas no telão. Porém, após ser pressionado por ambos os times, o árbitro italiano Roberto Rosetti validou o gol.

O time mexicano pareceu ter se desestabilizado com o erro grosseiro da arbitragem, e entregou de presente o segundo gol aos 32 minutos. Com a bola dominada na defesa, o zagueiro Osorio tocou no pé de Higuaín, que só precisou driblar Pérez e tocar para o gol vazio para ampliar a vantagem.

O México sofreu outro duro golpe logo aos 7 minutos da segunda etapa. Tevez tentou passe pelo meio e foi travado, mas a bola voltou para o próprio camisa 11, que soltou um foguete de fora da área no ângulo de Pérez para fazer o terceiro, golaço.

Depois o México passou a se arriscar mais no ataque, até que aos 26 minutos, Javier Hernández recebeu na área, girou sobre Demichelis e encheu o pé esquerdo para estufar as redes e dar esperança aos mexicanos. Porém, o placar não foi mais alterado até o apito final, Argentina segue, México volta pra casa.

Ficha do jogo:

Argentina 3 x 1 México

Local: Estádio Soccer City, Johannesburgo

Gols
Argentina: Tevez, aos 25min, e Higuaín, aos 32min do 1º tempo; Tevez, aos 7min do 2º tempo
México: Hernández, aos 26min do 2º tempo

Cartões amarelos
México: Rafa Márquez

Argentina: Romero; Otamendi, Demichelis, Burdisso e Heinze; Mascherano; Maxi Rodríguez (Pastore), Messi e Di María (Jonás Gutiérrez); Tevez (Verón) e Higuaín. Técnico: Diego Maradona

México: Pérez; Juárez, Osorio, Rodríguez e Salcido; Rafa Márquez e Torrado; Giovani dos Santos, Bautista (Barrera) e Guardado (Franco); Hernandéz. Técnico: Javier Aguirre

FIFA confirma resultados negativos em todos os testes antidoping da 1ª fase

Das agências internacionais em Johanesburgo, África do Sul

O chefe do departamento médico da FIFA, Jiri Dvorak, confirmou neste domingo que nenhum dos 196 exames antidoping realizados depois das 48 partidas da primeira fase da Copa do Mundo acusou o uso de alguma substância proibida.

“A FIFA realizou 256 controles antes do começo do torneio e 196 depois das partidas. Todos deram negativo, incluindo os de EPO, o que supõe que, pelo quarto Mundial seguido, não temos nenhum teste positivo”, explicou Dvorak.

O médico elogiou a rapidez das análises: “Temos os resultados entre 24 e 36 horas depois de cada partida, procedentes de um laboratório credenciado pela Agência Mundial Antidoping em Bloemfontein. Isso demonstra que a estratégia de tolerância zero da Fifa está funcionando”, avaliou.

Desde 1994, a FIFA realizou 7.416 controles em 58 competições, e só teve quatro resultados positivos: dois por estimulante, um por anabolizante e outro por maconha. “O último positivo foi em 2003”, observou o médico.

A respeito das lesões, ele destacou que a média de duas por partida registrada nesta Copa é menos do que nos Mundiais anteriores. “A taxa de lesões vem caindo pouco a pouco por três fatores: a melhor preparação dos jogadores, a melhoria dos serviços médicos e o jogo limpo”, analisou.

Show alemão, erro grotesco de arbitragem e a Inglaterra volta pra casa

Redação e agências nacionais

A Alemanha apresentou um futebol fatal, deu um espetáculo de fundamentos e contra-ataques certeiros, humilhou a Inglaterra com uma goleada por 4 x 1 e avançou confiante às quartas de final da Copa do Mundo, neste domingo, em Bloemfontein, no Free State Stadium. Gols de Thomas Müller (2), Klose e Podolski deram a vitória aos alemães, que ainda sentiram um gostinho de vingança relembrado a decisão entre os dois países em 1966.

Um erro grotesco do trio de arbitragem comandado pelo uruguaio Jorge Larrionda, na primeira etapa, quando os alemães venciam por 2 x 1, anulou um gol incrivelmente legal marcado por Frank Lampard. Na jogada, a bola bateu no travessão e caiu dentro do gol de Neuer. Foi idêntico à decisão de 1966, em que um lance supostamente ilegal, já que não há imagem conclusiva, deu o título mundial à Inglaterra, daí a vingança tardia dos alemães.

Mas mesmo com o erro de arbitragem, a Alemanha foi superior ao longo do confronto, apresentou uma eficiência digna de uma das seleções que ao longo da primeira fase conquistou o rótulo de favorita. Apresentando um técnica surpreendente, com trocas de passes envolventes e meio-campo leve. A Inglaterra teve pouca inspiração, salvo em momentos específicos da partida.

Com a eliminação, os ingleses seguem distantes da semifinal da Copa desde 1990, quando caíram diante da própria Alemanha na briga por um posto na final. Os alemães mantiveram uma sina: nunca perderam uma partida de oitavas no Mundial.

Na próxima fase, a Alemanha aguarda o vencedor do confronto entre Argentina e México. O duelo de quartas de final será na Cidade do Cabo, no próximo sábado, às 11h (de Brasília).

Se a Argentina vencer, os alemães revivem o duelo marcante também das quartas de final da última Copa. Na ocasião, o goleiro Jens Lehmann brilhou na disputa por pênaltis, mandando os argentinos de volta para casa. Pouco antes do Mundial, cabe lembrar, a seleção de Maradona bateu a Alemanha, em Munique, por 1 x 0.

Ficha do jogo:

Alemanha 4 x 1 Inglaterra

Local: Free State Stadium, em Bloemfontein

Gols
Alemanha: Klose, aos 20min, Podolski, aos 32min do 1º tempo e Müller, aos 22min, e Müller aos 25min do 2º tempo
Inglaterra: Upson, aos 37min do 1º tempo

Cartões amarelos
Alemanha: Friedrich
Inglaterra: Glen Johnson

Alemanha: Neuer; Lahm, Mertesacker, Friedrich e Boateng; Khedira e Schweinsteiger; Müller (Trochowski), Özil (Kiessling) e Podolski; Klose (Gómez)
Técnico: Joachim Löw

Inglaterra: James; Glen Johnson (Wright-Phillips), Terry, Upson e Ashley Cole; Milner (Joe Cole), Lampard, Barry e Gerrard; Rooney e Defoe (Heskey)
Técnico: Fabio Capello

Confira o resultado do GP da Europa

Redação e agências nacionais

Confira o resultado do GP da Europa:

1° Sebastian Vettel (ALE/Red Bull): 57 voltas
2° Lewis Hamilton (ING/McLaren): a 5s
3° Jenson Button (ING/McLaren): a 7s6
4° Rubens Barrichello (BRA/Williams): a 20s6
5° Robert Kubica (POL/Renault): a 22s1
6° Adrian Sutil (ALE/Force India): a 25s1
7° Kamui Kobayashi (JAP/Sauber): a 30s9
8° Sebastian Buemi (SUI/Toro Rosso): a 31s2
9° Fernando Alonso (ESP/Ferrari): a 32s8
10° Pedro de la Rosa (ESP/Sauber): a 42s4
11° Vitaly Petrov (RUS/Renault): a 43s2
12° Nico Rosberg (ALE/Mercedes): a 44s3
13° Vitantonio Liuzzi (ITA/Force India): a 45s8
14° Felipe Massa (BRA/Ferrari): a 46s6
15° Jaime Alguersuari (ESP/Toro Rosso): a 48s2
16° Michael Schumacher (ALE/Mercedes): a 48s8
17° Lucas Di Grassi (BRA/Virgin): a uma volta
18° Timo Glock (ALE/Virgin): a uma volta
19° Karun Chandhok (IND/Hispania): a uma volta
20° Bruno Senna (BRA/Hispania): a uma volta
21° Jarno Trulli (ITA/Lotus): a uma volta

Abandonaram
Nico Hulkenberg (ALE/Williams): volta 49
Heikki Kovalainen (FIN/Lotus): volta 9
Mark Webber (AUS/Red Bull): volta 9

F1: Vettel vence GP da Europa; Hamilton é 2º e mantém liderança

Terra

O alemão Sebastian Vettel venceu o GP da Europa, disputado neste domingo no circuito de rua em Valência. O piloto da Red Bull largou na primeira colocação e após manter a liderança na largada confirmou com facilidade a vitória. Lewis Hamilton, da McLaren, foi o segundo, enquanto Jenson Button, também da McLaren, chegou em terceiro. O quarto colocado foi o brasileiro Rubens Barrichello, que conseguiu a quarta posição com a Williams.

Assim, Hamilton manteve a primeira colocação do Mundial, agora com 127 pontos. A segunda posição segue com Button, que chegou aos 121. Já o terceiro colocado, agora, é o alemão Vettel, que soma 115 pontos, deixando a quinta colocação e ultrapassando Mark Webber, da Red Bull, quarto, e Fernando Alonso, da Ferrari, agora quinto.

A largada foi boa para os carros da Ferrari. Alonso foi para a terceira colocação, enquanto Felipe Massa pulou para quarto após largar em quinto. A largada foi boa também para Schumacher, que ganhou quatro posições e pulou do 15º para o 11º lugar. O brasileiro Rubens Barrichello, que largou em nono, ganhou duas posições e completou a primeira volta em sétimo.

Quem largou mal foi Webber, que saiu na segunda posição, mas no final da primeira volta estava no nono lugar com a Red Bull. O final de semana não era do australiano, que na volta de número dez tentou a ultrapassagem em cima de Hekki Kovalainen, mas atingiu a traseira da Lotus e decolou, parando somente na barreira de pneus. Apesar do grave acidente, os pilotos nada sofreram.

Com a entrada do safety car na pista, os pilotos foram para os boxes e realizaram as trocas de pneus. A Ferrari se deu mal, pois Alonso voltou em décimo e Massa em 17º. Melhor para Rubens Barrichello, que na relargada apareceu na quinta posição, enquanto Vettel seguiu em primeiro e Hamilton em segundo.

Na segunda colocação, Hamilton foi punido pelos comissários de prova. O motivo da punição foi que o piloto da McLaren ultrapassou o safety car. Assim, o inglês cumpriu um drive-through (passagem pelos boxes) na 26ª volta. Alonso, que estava atrás de Hamilton, viu o ocorrido e pediu providências à Ferrari, que avisou a direção de prova. Mesmo assim, o inglês voltou na segunda posição, pois tinha boa vantagem para o terceiro colocado, o japonês Kobayashi, da BMW Sauber.

O japonês era o único entre os primeiros colocados que ainda não tinha realizado parada para troca de pneus. Kobayashi entrou nos boxes somente na volta 54. Assim, Button foi para terceiro e Barrichello herdou a quarta posição, mas não conseguiu chegar no inglês para disputar uma vaga no pódio.

Seleção alemã pode ajudar a elevar nascimento de bebês e vendas de cerveja

Das agências internacionais em Berlim, Alemanha

Para a Alemanha, a atual edição da Copa do Mundo não tem como objetivo apenas a conquista do tetracampeonato, mas também em contribuir para impulsionar a taxa de natalidade do país.

Antes da partida pelas oitavas de final contra a Inglaterra no domingo, às 11h (de Brasília), a ministra alemã da Família Kristina Schroeder afirmou que o progresso da seleção nacional pode fazer com que os alemães tenham aumento na quantidade de bebês.

A Copa do Mundo de 2006 já teve aumento significativo no número de bebês, segundo informou a ministra ao jornal alemão Rheinische Post.

“É por isso que eu como ministra da família ficarei especialmente feliz de a Alemanha conquistar a Copa do Mundo”, afirmou Schroeder.

Quem também torce pelo sucesso alemão são as cervejarias do país, que esperam vender 200 milhões de litros extras (52,84 milhões de barris) de cerveja se a equipe comandada pelo treinador Joachim Löw alcançar a final da competição, de acordo com o jornal semanal Frankfurter Allgemeine Sonntagszeitung.

“Nossas vendas têm sido bem sucedidas durante a Copa do Mundo”, afirmou o representante das cervejarias Frank Windau.

O número de nascimentos caiu cerca de 3,6% e terminou em 651 mil em 2009, o número mais baixo desde a Segunda Guerra Mundial. Já o consumo de litros de cerveja caiu de mais de 150 livros (39,63 barris) por pessoa em 1976 para 111 litros (29,32 barris) no último ano de acordo com o jornal Sonntagszeitung.

sábado, 26 de junho de 2010

Vettel faz pole e Red Bull domina 1ª fila em Valência

Terra e Gazeta Esportiva

O piloto Sebastian Vettel, da Red Bull, fez o melhor tempo e larga na pole position no GP de Europa, que acontece neste domingo, no circuito de rua em Valência. O segundo colocado foi o companheiro de equipe Mark Webber, enquanto o inglês Lewis Hamilton larga em terceiro com a McLaren.

Vettel marcou 1min37s587 e terá o privilégio de sair na frente em Valência. Webber liderava o treino, mas viu o alemão "roubar" a primeira colocação no final. Além da evidente vantagem em ser o primeiro no grid de largada, Vettel consegue com este resultado igualar o número de poles do australiano neste campeonato: agora, são quatro para cada lado.

Com as dificuldades de se ultrapassar na pista de rua espanhola, eles são favoritos para quebrar o domínio brasileiro em Valência - em 2008, ano de estreia do circuito, a vitória ficou com Felipe Massa, enquanto no último ano Rubens Barrichello cruzou a linha de chegada em primeiro lugar.

Dono da casa, Fernando Alonso larga em quarto com a Ferrari. Felipe Massa, por sua vez, conseguiu assegurar a quinta colocação com o outro carro vermelho, logo à frente de Robert Kubica, da Renault. Jenson Button, da McLaren, sairá em sétimo. Barrichello, da Williams, sai em nono.

Barrichello, aliás, fez exatamente o mesmo tempo que seu colega de equipe, Nico Hulkenberg, na terceira etapa do treino de classificação. O alemão, porém, ficou uma posição à frente do brasileiro no grid por ter cravado seu tempo antes que o colega.

Confira o grid de largada para o GP da Europa:

Q1
1. Sebastian Vettel (ALE/Red Bull) - 1min37s587
2. Mark Webber (AUS/Red Bull) - 1min37s662
3. Lewis Hamilton (ING/McLaren) - 1min37s969
4. Fernando Alonso (ESP/Ferrari) - 1min38s075
5. Felipe Massa (BRA/Ferrari) - 1min38s127
6. Robert Kubica (POL/Renault) - 1min38s137
7. Jenson Button (ING/McLaren) - 1min38s210
8. Nico Hulkenberg (ALE/Williams) - 1min38s428
9. Rubens Barrichello (BRA/Williams) - 1min38s428
10. Vitaly Petrov (RUS/Renault) - 1min38s523

Q2
11. Sebastien Buemi (SUI/Toro Rosso) - 1min38s586
12. Nico Rosberg (ALE/Mercedes) - 1min38s627
13. Adrian Sutil (ALE/Force India) - 1min38s851
14. Vitantonio Liuzzi (ITA/Force India) - 1min38s884
15. Michael Schumacher (ALE/Mercedes) - 1min39s234
16. Pedro de la Rosa (ESP/Sauber) - 1min39s264
17. Jaime Alguersuari (ESP/Toro Rosso) - 1min39s458

Q3
18. Kamui Kobayashi (JAP/Sauber) - 1min39s343
19. Jarno Trulli (ITA/Lotus) - 1min40s658
20. Heikki Kovalainen (FIN/Lotus) - 1min40s882
21. Lucas di Grassi (BRA/Virgin) - 1min42s086
22. Timo Glock (ALE/Virgin) - 1min42s140
23. Karun Chandhok (ING/Hispania) - 1min42s600
24. Bruno Senna (BRA/Hispania) - 1min42s851

"Mala Esportiva no Ar !" - Edição Nº 14

Redação

Acompanhe o nosso primeiro Podcast depois dos 100.000 acessos abaixo:

Gana vence na prorrogação e vai às quartas

Redação e agências nacionais

A Seleção de Gana avançou às quartas de final da Copa do Mundo de 2010, é a única seleção africana que ainda está no Mundial, e precisou da prorrogação, para, com gols de Kevin-Prince Boateng e Asamoah Gyan, vencer os Estados Unidos por 2 x 1 neste sábado. Donovan, de pênalti, descontou para os americanos. Gana vai encarar o Uruguai na luta por um lugar na semifinal.

Gana se iguala as duas melhores participações de seleções africanas em Mundiais: Camarões, em 1990, e Senegal, em 2002. A partida contra os uruguaios acontece na próxima sexta-feira, no Estádio Soccer City, em Johannesburgo, às 15h30 (de Brasília).

O jogo começou rápido e os Estados Unidos chegaram logo aos 5 minutos, em chute de longe de Dempsey, bem defendido por Kingson. Porém, o primeiro ataque de Gana foi bem mais efetivo: Kevin-Prince Boateng desarmou Clark no meio de campo, avançou pelo centro e bateu rasteiro de fora da área. O goleiro Howard, mal colocado, não conseguiu a defesa e a bola balançou a rede americana.

O primeiro tempo seguiu com grandes chances para os dois lados, mas sem movimentação no placar. No intervalo, o técnico dos Estados Unidos, Bob Bradley tirou o atacante Findley para a entrada do meia Feilhaber, avançando Dempsey e acabando com a vantagem numérica de Gana no meio de campo. Logo no primeiro minuto do segundo tempo, Donovan disparou pela direita e cruzou para Altidore, que ajeitou para a chegada de Feilhaber, mas o camisa 22 parou em ótima saída de Kingson.

Os Estados Unidos cresceram no jogo e aos 16 minutos, Dempsey em jogada individual, invadiu a área e foi derrubado por Jonathan Mensah. Na cobrança do pênalti, Donovan deslocou Kingson para fazer seu terceiro gol na Copa e empatar o jogo. Altidore teve a chance de virar aos 21 minutos após receber passe de Dempsey, mas foi travado pelo goleiro.

O jogo que apresentou um bom nível técnico não teve alterações no placar e seguiu para a primeira prorrogação nesta edição da Copa do Mundo, e aos 2 minutos do tempo extra, os ganenses marcaram, em um vacilo da defesa americana, Gyan recebeu lançamento, ganhou de Bocanegra e encheu o pé para estufar as redes, sem chances para Howard, definindo a vitória e a classificação. Os Estados Unidos se lançaram ao ataque nos instantes finais, inclusive o goleiro Howard, mas não conseguiram o gol de empate.

Ficha do jogo:

Estados Unidos 1 x 2 Gana

Local: Estádio Royal Bafokeng, Rustemburgo

Gols
Estados Unidos: Donovan, aos 16min do 2º tempo
Gana: Kevin-Prince Boateng, aos 5min do 1º tempo, e Gyan, aos 2min do 1º tempo da prorrogação

Cartões amarelos
Estados Unidos: Clark, Cherundolo e Bocanegra
Gana: Jonathan Mensah e Ayew

Estados Unidos: Howard; Cherundolo, DeMerit, Bocanegra e Bornstein; Clark (Edu), Bradley, Dempsey e Donovan; Findley (Feilhaber) e Altidore (Gomez).
Técnico: Bob Bradley

Gana: Kingson; Paintsil, John Mensah, Jonathan Mensah e Sarpei (Addy); Annan; Inkoom (Muntari), Asamoah, Kevin-Prince Boateng (Appiah) e Ayew; Gyan.
Técnico: Milovan Rajeva

Suárez brilha e Uruguai está nas quartas de final

Redação e agências nacionais

Luis Suárez foi o grande nome da classificação do Uruguai às quartas de final da Copa do Mundo, classificação que não acontecia há 40 anos. Neste sábado, em jogo que abriu a fase de oitavas, os uruguaios mandaram a Coreia do Sul para casa após vencer por 2 x 1, no Nelson Mandela Bay, em Port Elizabeth.


O atacante Suárez foi o autor dos dois gols, salvou sua seleção em um segundo tempo em que foi amplamente dominado pelos asiáticos.

Desde o Mundial no México, em 1970, quando foi semifinalista, o Uruguai não conseguia uma campanha tão expressiva. Parte disso se deve à força defensiva: até o gol marcado por Lee Chong-Yong, aos 23min do segundo tempo, foram 338 minutos sem o arqueiro Muslera ser vazado.

A seleção de Luís Suárez precisará se recuperar fisicamente até o dia 2, próxima sexta-feira, quando disputará um lugar na semifinal. O jogo será no Soccer City Stadium, em Johannesburgo, às 15h30 (de Brasília).

Com os dois gols diante da Coreia do Sul, Luis Suárez se juntou a Higuaín, David Villa e Vittek na artilharia do Mundial. O uruguaio precisará secar os rivais, já que todos ainda atuarão na fase de oitavas.

Ficha do jogo:

Uruguai 2 x 1 Coreia do Sul

Local: Nelson Mandela Bay, em Port Elizabeth

Gols
Uruguai: Luis Suárez, aos 8min do 1º tempo e aos 35min do 2º tempo
Coreia do Sul: Lee Chung-Yong, aos 23min do 2º tempo

Cartões amarelos
Coreia do Sul: Cha Du-Ri, Kim Jung-Woo e Cho Yong-Hyung

Uruguai: Muslera; Maxi Pereira, Lugano, Godín (Victorino) e Fucile; Arévalo Rios; Diego Pérez e Alvaro Pereira (Lodeiro); Forlán; Luis Suárez (Alvaro Fernández) e Cavani
Técnico: Oscar Tabarez

Coreia do Sul: Jung Sung-Ryong; Cha Du-Ri, Cho Yong-Hyung, Lee Jung-Soo e Lee Young-Pyo; Kim Jung-Woo e Ki Sung-Yueng Yeom Ki-Hun; Lee Chung-Yong, Ji Sung-Park e Kim Jae-Sung (Lee Dong-Guk); Park Chu-Yong
Técnico: Huh Jung-Moo

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Espanha vence e avança, Chile também está nas oitavas e encara o Brasil

Redação e agências nacionais

A Espanha mostrou eficiência diante da boa seleção do Chile, venceu por 2 x 1 e terminou a primeira fase da Copa do Mundo 2010 na liderança do Grupo H, hoje em jogo disputado no Estádio Loftus Versfeld, em Pretória. A Espanha liquidou a fatura ainda na etapa inicial, espantou o "fantasma" da eliminação de França e Itália e avança às oitavas.

Com a vitória, a Espanha evitou o confronto direto com o Brasil já nas oitavas de final e vai fazer o Clássico da Península Ibérica contra Portugal em busca de uma vaga nas quartas. Ao lado de Inglaterra x Alemanha, o confronto será um dos mais esperados da segunda fase da Copa do Mundo.

Os chilenos, mesmo com a derrota avançam na competição, pois contaram com a ajuda de Honduras, que arrancou um empate sem gols contra a Suíça. Porém, a vida do time de Marcelo Bielsa não será fácil, já que terá pela frente a Seleção Brasileira, nas oitavas de final. Com a classificação do Chile, os sul-americanos conseguiram colocar suas cinco equipes na sequência do torneio na África do Sul.

No jogo contra a Seleção Canarinho, "La Roja" não terá o volante Estrada, expulso nesta sexta-feira. O destaque da partida foi mais uma vez a atuação de David Villa, que marcou um belo para abrir o placar depois de uma falha do goleiro Bravo, que saiu de forma estabanada.

Ficha do jogo:

Chile 1 x 2 Espanha

Local: Estádio Loftus Versfeld, Pretória

Gols
Chile: Millar, aos 2min do 2º tempo
Espanha: Villa, aos 23min, e Iniesta, aos 37min do 1º tempo

Cartões amarelos
Chile: Medel, Ponce e Estrada

Cartão vermelho
Chile: Estrada

Chile: Bravo; Medel, Ponce e Jara; Isla, Estrada, Vidal e Mark González (Millar); Sánchez (Orellana), Valdivia (Paredes) e Beauséjour.
Técnico: Marcelo Bielsa

Espanha: Casillas; Sergio Ramos, Piqué, Puyol e Capdevila; Busquets e Xabi Alonso (Javi Martínez); Iniesta, Xavi e David Villa; Fernando Torres (Fàbregas).
Técnico: Vicente del Bosque

Suíça volta pra casa mais cedo

Redação e agências nacionais

A Suíça precisava atacar a frágil seleção de Honduras, considerada a mais fraca do Grupo H, mas ao invés de atacar ela se manteve no estilo defensivo de jogo que é marca da Suíça, apostou nos contra-ataques e a partida no Free State, em Bloemfontein, acabou 0 x 0, pela última rodada do Grupo H.

Com a vitória da Espanha sobre o Chile, em Pretória, as duas seleções foram eliminadas da Copa do Mundo. Os europeus acabaram a chave na terceira posição com 4 pontos e Honduras terminou na última posição, com um ponto e sem marcar gols.

Honduras chegou a tomar a iniciativa da partida, marcando pressão na saída de bola da Suíça. A equipe de Ottmar Hitzfeld não mudou a forma de jogar e continuou esperando o adversário atrás, para poder explorar o contra-ataque.

Mas isso não deu certo, e quem precisava marcar gols e estava mais preocupado em não tomá-los, acabará voltando mais cedo pra casa, Honduras faz companhia aos suíços.

Ficha do jogo:

Suíça 0 x 0 Honduras

Local: Estádio Free State, Bloemfontein

Cartões amarelos
Suíça: Gelson Fernandes
Honduras: Thomas, Suazo, Chávez e Wilson Palacios

Suíça: Benaglio; Lichsteiner, Von Bergen, Grichting, Ziegler; Barnetta, Huggel (Shaqiri), Inler, Gelson Fernandes (Yakin); Derdyok e Nkufo (Frei).
Técnico: Ottmar Hitzfeld

Honduras: Valladares; Sabillón, Chávez, Bernárdez, Figueroa; Alvarez, Wilson Palacios, Thomas, Núñez (Martinez); Jerry Palacios (Welcome) e Suazo (Turcios).
Técnico: Reinaldo Rueda

Brasil e Portugal avançam mesmo com 0 x 0

Redação e agências nacionais

A Seleção Brasileira se classificou em primeiro lugar no seu grupo na Copa do Mundo, já que precisava apenas de um empate e foi o que aconteceu contra Portugal, nesta sexta-feira no estádio Moses Mabhida em Durban, pela última rodada da primeira fase da Copa. Mas a equipe jogou mal. Tanto que nem o técnico Dunga escondeu a irritação com o time.


Dunga gritou e gesticulou muito com seus comandados, principalmente no segundo tempo, ainda mais quando acontecia mais um erro de passe ou ataque desperdiçado antes mesmo de chegar perto do gol. Ao apito final, tanto o Brasil, como Portugal ouviram vaias da arquibancada.


Hoje à tarde será definido o adversário do Brasil e também de Portugal nas oitavas de final. Chile, Suíça ou Espanha são os prováveis adversários.

Ficha do jogo:

Portugal 0 x 0 Brasil

Local: Moses Mabhida, em Durban

Cartões amarelos
Portugal: Duda, Tiago, Pepe e Coentrão
Brasil: Juan, Luís Fabiano e Felipe Melo

Portugal: Eduardo; Ricardo Costa, Ricardo Carvalho, Bruno Alves e Coentrão; Pepe (Pedro Mendes), Raul Meireles (Miguel Veloso) e Tiago; Danny, Cristiano Ronaldo e Duda (Simão)
Técnico: Carlos Queiroz

Brasil: Júlio César; Maicon, Lúcio, Juan e Michel Bastos; Gilberto Silva e Felipe Melo (Josué); Daniel Alves, Júlio Baptista (Ramires) e Nilmar; Luís Fabiano (Grafite)
Técnico: Dunga

Costa do Marfim vence a Coreia do Norte mas se despede da Copa

Redação e agências nacionais

Costa do Marfim venceu bem a Coreia do Norte foram 3 x 0, mas que não adiantaram para classificar os africanos às oitavas de final da Copa do Mundo. O início foi avassalador, os torcedores até sonharam com a classificação, mas parou por aí mesmo, "devendo" 5 para tentar a classificação.

Esta foi a segunda Copa do Mundo dos marfinenses, que em 2006 tiveram um grupo forte (Argentina, Holanda e Sérvia e Montenegro) e caíram na primeira fase, assim como desta vez. Desta vez, porém, colecionaram um ponto a mais, graças ao empate sem gols com Portugal.

A Coreia do Norte, uma das grandes zebras da Copa do Mundo de 1966, na Inglaterra, onde bateu a Itália e só parou nas quartas de final, ficou longe de repetir o desempenho em 2010. Na África do Sul, a seleção asiática até esboçou uma surpresa ao complicar a vida do Brasil na estreia, mas seu sistema defensivo não resistiu e terminou a competição com 12 gols sofridos, apenas um, sobre o goleiro Júlio César, foi marcado.

Ficha do jogo:

Coreia do Norte 0 x 3 Costa do Marfim

Local: Mbombela Stadium, Nelspruit

Gols
Costa do Marfim: Keita, aos 14min do primeiro tempo; Romaric, aos 20min do primeiro tempo; Kalou, aos 36min do segundo tempo

Coreia do Norte: Ri Myong Guk; Cha Jong Hyok, Pak Chol Jin, Ri Jun Il, Ji Yun Nam e Ri Kwang Chon; Mun In Guk (Kum Chol), An Yong Hak, Pak Nam Chol e Hong Yong Jo; Jong Tae Se
Técnico: Kim Jong Hun

Costa do Marfim: Barry; Eboué, Kolo Touré, Zokora e Boka; Romaric (Doumbia), Yaya Touré e Tioté; Gervinho, Drogba e Keita (Kalou).
Técnico: Sven-Göran Eriksson

3ª Edição do NBB começa em outubro

Lancepress!


A Liga Nacional de Basquete (LNB) divulgou nesta quinta-feira o calendário do basquete brasileiro para os próximos meses. A terceira edição do Novo Basquete Brasil (NBB) terá início no dia 30 de outubro. A competição será interrompida após o dia 19 de dezembro, por causa das festas de fim de ano, e será retomado no dia 7 de janeiro. O Jogo das Estrelas está previsto para fevereiro e a disputa dos playoffs começará em abril, assim como a segunda edição do Torneio Interligas entre Brasil e Argentina.

As equipes que quiserem participar da nova edição do NBB poderão se inscrever a partir do dia 17 de julho, data em que será realizada a Assembleia Geral da LNB. Nesta reunião, a entidade poderá fazer algumas alterações no estatuto e discutirá as próximas ações.

Além do início do NBB, a LNB também definiu as datas de outras competições neste ano. Os estaduais, por exemplo, vão começar em agosto, antes da disputa do Mundial na Turquia, entre agosto e setembro.

Entre outubro e novembro será realizada a Liga Sul-Americana de Clubes, que contará com a presença de três equipes brasileiras: Flamengo, Franca e Brasília. A cidade do interior paulista será a sede do primeiro quadrangular do torneio, entre os dias 21 e 23 de outubro.

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Resultados da 7ª Rodada do Campeonato Pernambucano 2010 - Série A2

Estamos em dívida com a segundona estadual, e vamos aos poucos colocando os resultados em dia, agora vamos com os da 7ª rodada:

Dom, 13/06
15:15 América 2 x 2 Belo Jardim - Est. Ademir Cunha - Paulista
16:00 Centro Limoeirense 4 X 0 Carpinense - Est. José Vareda - Limoeiro
16:00 Olinda 2 X 2 Pesqueira - Est. Olindão - Olinda
16:00 Barreiros 2 X 0 Íbis - Est. Luiz Brito B. Melo - Barreiros
16:00 Timbaúba 2 X 0 Ferroviário do Cabo - Est. Ferreira Lima - Timbaúba
17:00 Petrolina 3 x 1 1º de Maio - Est. Paulo Coelho - Petrolina

E a 8ª Rodada já teve um jogo cuja FPF-PE divulgou o resultado:
Sáb, 19/06
17:00 1º de Maio 1 X 3 Centro Limoeirense - Est. Paulo Coelho - Petrolina

Vale um recado pra a FPF-PE, gente, vamos atualizar esta joça desse site, o torcedor pernambucano quer acompanhar seu futebol!

Japão vence a Dinamarca e avança às oitavas

Redação e agências nacionais

O Japão confirmou o seu bom desempenho na Copa do Mundo (diferente dos amitosos antes do Mundial) e conquistou a vaga no Grupo E do Mundial, ao vencer a Dinamarca por 3 x 1, nesta quinta-feira, no Estádio Royal Bafokeng, em Rustemburgo. Os dinamarqueses também tinham chances de classificação.

Um fundamento bastante explorado e bem aproveitado pelos japoneses foi a cobrança de falta, por duas vezes, com Honda e Endo, eles balançaram as redes, ainda no primeiro tempo. Tomasson descontou para os dinamarqueses na etapa final e Okazaki fechou o marcador aos. Com a vitória, o Japão termina sua chave na segunda colocação com 6 pontos, enquanto a Dinamarca fica na terceira posição.

Na próxima fase, o Japão enfrentará o Paraguai nas oitavas de final. O jogo será na terça-feira, às 11h (de Brasília), no Estádio Loftus Versfeld, em Pretória. É a segunda vez que a seleção comandada por Takeshi Okada passa da fase de grupos. A primeira aconteceu em 2002, quando o país sediou a competição ao lado da Coreia do Sul.

Ficha do jogo:

Dinamarca 1 x 3 Japão

Local: Estádio Royal Bafokeng, Rustemburgo

Gols
Dinamarca: Tomasson, aos 35min do 2º tempo

Cartões amarelos
Dinamarca: Kroldrup, Christian Poulsen e Bendtner
Japão: Endo e Nagatomo

Japão: Honda, aos 15min do 1º tempo, Endo e aos 30min do 1º tempo e Okazaki, aos 43min do 2º tempo
Dinamarca: Sorensen; Jacobsen, Kroldrup (Larsen), Agger, Simon Poulsen; Christian Poulsen, Kahlenberg (Eriksen), Jorgensen (Jakob Poulsen), Tomasson, Rommedahl; Bendtner.
Técnico: Morten Olsen

Japão: Kawashima; Komano, Nakazawa, Marco Tulio Tanaka, Nagatomo; Abe; Hasebe, Matsui (Okazaki), Endo (Inamoto), Okubo (Konno); Honda.
Técnico: Takeshi Okada

Holanda bate Camarões e avança na Copa

Redação e agências nacionais

A Holanda jogou "pra o gasto", venceu Camarões por 2 x 1 e avançou na Copa do Mundo 2010, nesta quinta-feira, no Estádio Green Point, na Cidade do Cabo. A Holanda passa como líder do Grupo E, o destaque do jogo foi a volta de Arjen Robben, recuperado de lesão no tendão sofrida antes do Mundial. O adversário nas oitavas de final será a Eslováquia, que eliminou a Itália.

O atacante do Bayern de Munique-ALE jogou por alguns minutos e mostrou boa movimentação participando diretamente do segundo gol, marcado por Huntelaar. Os europeus haviam aberto o placar no primeiro tempo com Van Persie, após tabela com Van der Vaart. Os africanos chegaram à igualdade com Samuel Eto'o, que converteu cobrança de pênalti na etapa final.

A Holanda, que já havia se classificado antecipadamente, chegou aos nove pontos, com 100% de aproveitamento. Camarões, que já entrou na partida sem chances de avançar no Mundial, terminou sem um ponto sequer.

Robben, mesmo voltando da contusão sofrida, deu provas de que pode ainda ser o craque desta Copa, desde que mostre um futebol tão convincente, tanto quanto o apresentado na partida de hoje.

Ficha do jogo:

Camarões 1 x 2 Holanda

Local: Estádio Green Point, Cidade do Cabo

Gols
Camarões: Eto'o, aos 19min do 2º tempo
Holanda: Van Persie, aos 36min do 1º tempo, e Huntelaar, aos 38min do 2º tempo

Cartões amarelos
Camarões: N'Koulou e Mbia
Holanda: Kuyt, Van der Vaart e Van Bronckhorst

Camarões: Souleymanou; Geremi, Mbia, N'Koulou (Rigobert Song) e Assou-Ekotto; Makoun, Chedjou, N'Guémo e Bong (Aboubakar); Eto'o e Choupo-Moting (Idrissou).
Técnico: Paul Le Guen

Holanda: Stekelenburg; Boulahrouz, Heitinga, Mathijsen e Van Bronckhorst; De Jong e Van Bommel; Kuyt (Elia), Sneijder e Van der Vaart (Robben); Van Persie (Huntelaar).
Técnico: Bert van Marwijk

Dunga pede desculpas à torcida por ofensas em coletiva, mas ignora Globo

Uol

Na véspera do jogo contra Portugal, o técnico Dunga se dirigiu ao torcedor brasileiro para pedir desculpas pelo comportamento há quatro dias em entrevista oficial após a partida contra a Costa do Marfim, em Johanesburgo.

Nesta quinta-feira em Durban, o treinador teve a primeira oportunidade de se pronunciar a respeito do bate-boca com o jornalista Alex Escobar, da Rede Globo.

Dunga pediu desculpas pelo comportamento no caso, quando interrompeu uma resposta para interpelar o jornalista e, em seguida, ofendeu o profissional com palavras captadas pelo sistema de som da sala de conferência do Soccer City.

No entanto, ao longo do seu desabafo, Dunga em nenhum momento se referiu ao jornalista e à emissora em questão para pedir desculpas e ainda deixou no ar uma leve cutucada, com o pedido: “eu só quero que me deixem trabalhar”.

“Bom, vou falar uma única vez sobre isso. Gostaria de pedir desculpas ao torcedor brasileiro pela minha atitude, pela forma como me comportei”, declarou o treinador no estádio do jogo de sexta contra Portugal.

“O torcedor não tem nada a ver com os meus problemas pessoais. Só quero trabalhar, só quero que me deixem trabalhar. (Eles) não têm que saber de algumas coisas, ouvir algum desabafo meu, só têm que torcer pela Seleção Brasileira”, emendou Dunga, no comentário sobre o incidente de domingo passado.

Drama familiar

No fim da entrevista, Dunga foi perguntado sobre os problemas de saúde do pai e confirmou o drama familiar.

“Não é a primeira vez que ele está nesta situação. Há muito mais tempo que ele vem sofrendo com isso”, disse, sobre o seu pai Edelceu, que sofre de mal de Alzheimer.

“Para mim, é mais uma oportunidade de mostrar para ele tudo que ele me ensinou: que o homem para ser homem precisa ter dignidade, coerência, virtude, honra, transparência e saber pedir desculpas quando erra”, emendou.

Na conclusão de seu desabafo, Dunga ainda se dirigiu à mãe, Dona Maria, e falou em sofrimento duplo, pela doença do chefe da família e pela pressão enfrentada pelo filho na Copa do Mundo.

“E a minha mãe, mais do que sofrer com o meu pai, deu o maior exemplo de que o que estão fazendo com o filho dela não se faz com ser humano nenhum. Fizeram chacota comigo quando disse que ela é professora de história, mas ela me deu uma lição: temos que ser patriotas, embora muita gente não goste, e fazer o melhor para o país. A adversidade só vai fazer com que a gente cresça”, concluiu.

Eslováquia avança em jogo emocionante

Redação e agências nacionais

Agora são duas as campeãs mundiais que são eliminadas na primeira fase da Copa do Mundo 2010. Depois da França, a Itália se despede da África do Sul em uma derrota dramática para a Eslováquia, por 3 x 2. Os comandados de Marcello Lippi terminam a competição sem uma vitória sequer e com o vexame de empatar com a inexpressiva Nova Zelândia.

Marcello Lippi não só perde a Copa do Mundo como vai de heroi a vilão, já que muitos consideram ele um dos nomes principais na conquista de 2006, na Alemanha. Lippi foi criticado desde a convocação, quando muitos apontavam que ele estava levando um um time formado por jogadores com a média de idade muito alta. A defesa, elogiada há quatro anos na Alemanha, cometeu falhas ao longo do torneio, o ataque foi sofrível, com poucas opções de jogada e movimentação inexpressiva de Iaquinta e Di Natale.

As contusões de Pirlo e Buffon também prejudicaram a participação da Azzurra. O goleiro saiu lesionado. Pirlo entrou em campo na derrota desta quinta-feira, contra Eslováquia, durante a segunda etapa, ele cadenciou o jogo, deu um ânimo extra para os italianos, mas não conseguiu impedir a derrota.

Mas a Eslováquia não tinha nada a ver com o drama alheio e foi pra cima dos italianos com grande atuação do atacante Vittek, artilheiro da equipe na competição, ele marcou os dois gols da partida e desestabilizou a experiente zaga italiana formada pelo capitão Cannavaro e por Chiellini.

Quando perdia por 1 x 0, a Itália foi pra cima viu ocorrer o lance polêmico que poderia colocar a Itália nas oitavas, ao 22 minutos do segundo tempo, depois de escanteio, Quagliarella acertou um chute preciso. Em cima da linha, Skrtel tirou a bola, mas nenhum replay da jogada foi capaz de confirmar se houve o gol, muitos acreditam que sim.

Quando atacava insistentemente, a Itália sofreu seu segundo gol e se viu em situação muito delicada. Aos 28 minutos, Hamsik colocou a bola na área para Vittek, o carrasco italiano, que se antecipou a Chiellini e finalizou sem chances para Marchetti.

Mas o gol não foi sentido pelos italianos, que foram ainda mais ao ataque em busca de dois gols que lhes dariam a classificação. Com muita raça, Quagliarella invadiu a área, tabelou com Iaquinta e chutou a gol, no rebote, Di Natale empurrou para o gol vazio e conseguiu metade do objetivo.

A Itália ainda teve um gol anulado aos 40 minutos. Após jogada de Di Natale pela esquerda, Quagliarella empurrou para dentro da pequena área, mas o lance foi corretamente anulado por impedimento.

Mas tanto ataque dava muito espaço aos eslovacos, que aos 44 minutos chegaram ao terceiro gol. Ainda houve tempo para Quagliarella diminuir aos 47 minutos, mas a reação parou por aí.

Ficha do jogo:


Eslováquia 3 x 2 Itália

Local:Ellis Park, em Johannesburgo

Gols
Eslováquia: Vittek, aos 25min do 1º tempo e Vittek aos 28min do 2º tempo e Kopunek aos 44min do 2º tempo
Itália: Di Natale, aos 36min do 2º tempo e Quagliarella aos 47min do 2º tempo

Cartões amarelos
Eslováquia: Vittek, Strba e Pekarik
Itália: Cannavaro e Chiellini

Eslováquia: Mucha; Pekarik, Skrtel, Durica e Zabavnik; Kucka e Strba (Kopunek); Stoch, Hamsik e Jendrisek (Petras); Vittek
Técnico: Vladimir Weiss

Itália: Marchetti; Zambrotta, Cannavaro, Chiellini e Criscito (Maggio); De Rossi; Gattuso (Quagliarella) e Montolivo (Pirlo); Pepe, Iaquinta e Di Natale
Técnico: Marcello Lippi

Empate sem gols classifica o Paraguai

Redação e agências nacionais

O Paraguai não venceu, mas também não foi derrotado e por isso avançou na Copa do Mundo, conseguindo o primeiro lugar do Grupo F, de nada adiantou a insistência do ataque, pois a defesa da Nova Zelândia foi consistente e garantiu o empate sem gols nesta quinta-feira, no Estádio Peter Mokaba, em Polokwane. A seleção da Oceania está eliminada.

Avançando às oitavas, o Paraguai chega na segunda fase de um Mundial após a eliminação precoceme em 2006. Na Copa de 1998, caiu diante da França, em 2002, contra a Alemanha, parou exatamente nas oitavas de final. A melhor colocação dos sul-americanos na história foi o nono lugar em 1930, porém na oportunidade apenas 13 times participaram da competição.

Na África do Sul, a Seleção Guarani tem uma grande chance de melhorar seu histórico, visto que de forma inédita terminou a etapa de grupos na primeira colocação. Como resultado, deve fugir da Holanda e enfrentar Dinamarca ou Japão no próximo dia 29, às 11h (de Brasília), em Pretória.

Para enfrentar a Holanda, a Laranja Mecânica deve ser derrotada pela já eliminada seleção de Camarões, além do vencedor do confronto entre Dinamarca x Japão ter de descontar o saldo de gols dos holandeses, três gols pró, até o momento.

A Nova Zelândia, por sua vez, também tem motivos para comemorar. Em sua única participação em uma Copa do Mundo até 2010, em 1982, a equipe havia caído na primeira fase com três derrotas, 12 gols sofridos e apenas dois marcados. Depois de 28 anos, a classificação também não veio, porém o desempenho foi bem superior: três empates, com dois gols marcados e dois sofridos.

Ficha do jogo:

Paraguai 0 x 0 Nova Zelândia

Local: Peter Mokaba Stadium, em Polokwane

Cartões amarelos
Paraguai: Victor Cáceres e Santa Cruz
Nova Zelândia: Nelsen

Paraguai: Villar; Caniza, Da Silva, J. Cáceres, Morel; Vera, Victor Cáceres, Riveros; Santa Cruz, Óscar Cardozo (Barrios), Haedo Valdez (Benítez)
Técnico: Gerardo Martino

Nova Zelândia: Paston; Reid, Nelsen e Smith; Bertos, Vicelich, Elliot e Lochhead; Smeltz, Killen (Brockie) e Fallon (Wood)
Técnico: Ricki Herbert

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Ex-campeão mundial de xadrez bate Evo Morales em apenas três minutos

Das agências internacionais em La Paz, Bolívia
Foto: Reuters


Ex-campeão mundial de xadrez e um dos principais nomes da modalidade, o russo Anatoly Karpov disputou uma partida diferente nesta quarta-feira. Na cidade de Laz Paz, na Bolívia, fez divertido duelo diante do presidente boliviano Evo Morales, como forma de incentivar a prática nas escolas do país sul-americano.

“A presença dele é um sonho em nosso país. É uma forma de incentivarmos o xadrez em nossas escolas”, disse o presidente boliviano, amante da modalidade e que afirmou ter aprendido a praticá-la sozinho, por meio de um dicionário.

A partida durou apenas três minutos - 12 jogadas. O russo escolheu as peças pretas e as mexia com muita velocidade, enquanto Morales pensava bastante antes de qualquer ação. Após o 12º lance, o presidente não jogou após algum tempo de espera e deu por encerrado o confronto.

Antes do celebrado duelo, os dois trocaram tabuleiros de xadrez, com o presidente entregando um com motivos Incas ao russo. Após o embate, Karpov, que ostentou o título de campeão mundial de 1975 a 1985, deu algumas dicas de movimentos para o presidente Evo Morales e se mostrou contente com o convite.

“Eu acho que nunca um campeão mundial atingiu tais alturas", disse de forma bem humorada o russo após o encontro, referindo-se aos 3.640 metros acima do nível do mar da cidade de La Paz, que embora não seja a capital do país, abriga a sede do governo da Bolívia.

Anatoly Karpov está em turnê pela América do Sul e visa incentivar a prática do xadrez entre as crianças, principalmente nas escolas. Seu duelo contra Evo Morales foi acompanhado por vários adolescentes que, após o confronto, também enfrentaram o ex-campeão mundial no salão principal do Palácio do Governo boliviano, local do evento.

Austrália vence a Sérvia e as duas "morrem abraçadas"

Redação e agências nacionais

A Austrália precisava de uma combinação de resultados para seguir na Copa do Mundo, e fez sua parte no que precisava, ganhou da Sérvia por 2 x 1, nesta quarta-feira, no Estádio Mbombela, em Nelspruit. Tim Cahill e Holman marcaram os gols da Austrália, mas a vitória acabou sendo em vão, já que tanto os australianos como a Sérvia voltarão para casa antes do fim da Copa, Pantelic descontou para os sérvios.

De certa forma, o resultado que a Austrália precisava aconteceu, a Alemanha venceu Gana por 1 x 0, em Johannesburgo e a seleção da Oceania terminou com os mesmos quatro pontos dos africanos. Porém, os comandados de Pim Verbeeck acabaram sua participação no Grupo D na terceira posição, por levar desvantagem no saldo de gols, zero contra menos dois. A Sérvia terminou a chave na última colocação.

No jogo, a Sérvia foi mais muito ofensiva na etapa inicial. Principalmente com Krasic pelo lado direito, a equipe do técnico Radomir Antic atacou e ofereceu perigo ao gol de Schwarzer.

A Austrália atacou com menos perigo, mas no segundo tempo a coisa mudou, de pressionada, a seleção australiana se mostrou mais entrosada em campo, é tanto que marcou por duas vezes, chegou a sonhar com a classificação mas depois de tomar o gol viu a Sérvia crescer no jogo e teve de se contentar com a vitória, e voltar para casa mais cedo junto com a Sérvia.

Ficha do jogo:

Austrália 2 x 1 Sérvia

Local: Estádio Mbombela, Nelspruit

Gols
Austrália: Cahill, aos 23min do 2º tempo e Holman, aos 27min do 2º tempo
Sérvia: Pantelic aos 37min do 2º tempo

Cartões amarelos
Austrália: Beauchamp, Wilkshire e Emerton
Sérvia: Lukovic e Ninkovic

Austrália: Schwarzer; Wilkshire (Garcia), Beauchamp, Neill, Carney; Culina, Valeri (Holman); Emerton, Cahill, Bresciano (Chipperfield); Kennedy.
Técnico: Pim Verbbek

Sérvia: Stojkovic; Ivanovic, Vidic, Lukovic, Obradovic; Krasic (Tosic), Stankovic, Kuzmanovic (Subotic), Ninkovic, Jovanovic; Zigic (Lazovic).
Técnico: Radomir Antic

Alemanha vence Gana, mas as duas se classificam

Redação e agências nacionais

A classificação da Alemanha veio em um jogo muito movimentado contra Gana, com muitas chances para os dois lados, os germânicos se recuperaram da derrota para a Sérvia na rodada passada e bateu Gana por 1 x 0 nesta quarta-feira, no Estádio Soccer City, em Johannesburgo. O gol foi marcado pelo meia Özil, em um chute forte de fora da área, que garantiu à seleção tricampeã mundial a primeira colocação do Grupo D, com seis pontos.

Mas se classificar na primeira colocação não foi tão bom assim para a Alemanha, que terá que enfrentar outra gigante do futebol mundial nas oitavas, a Inglaterra, que se classificou em segundo lugar no Grupo C. Já Gana, foi o único país Africano a avançar na Copa até agora, e vai encarar os Estados Unidos na próxima fase.

O técnico Joachim Löw mexeu na lateral esquerda da Alemanha, trocando Badstuber por Jérôme Boateng, irmão do volante ganês Kevin-Prince Boateng, que contundiu Michael Ballack antes do Mundial. No ataque, o substituto de Klose, expulso diante da Sérvia, foi o brasileiro Cacau. Do outro lado, Milovan Rajevac manteve o esquema 4-5-1, com Asamoah Gyan como único atacante fixo.

Os europeus durante o jogo tiveram muito mais posse de bola durante o jogo, Gana se arriscava nos contra-ataques.


O gol da Alemanha saiu aos 15 minutos do segundo tempo, Özil recebeu na entrada da área e soltou uma bomba de perna esquerda no ângulo de Kingson para abrir o placar. Gana se lançou para o ataque depois do gol sofrido, mas não teve forças para empatar, porém, mesmo com a derrota, conseguiu a classificação.

Ficha do jogo:

Gana 0 x 1 Alemanha

Local: Estádio Soccer City, Johannesburgo

Gol
Alemanha: Özil, aos 15min do 2º tempo

Cartões amarelos
Gana: Ayew
Alemanha: Müller

Gana: Kingson; Paintsil, John Mensah, Jonathan Mensah e Sarpei; Annan; Tagoe (Muntari), Boateng, Asamoah e Ayew (Adiyiah); Gyan (Amoah). Técnico: Milovan Rajevac

Alemanha: Neuer; Lahm, Friedrich, Mertesacker e Boateng (Jansen); Khedira e Schweinsteiger (Kroos); Müller (Trochowski), Özil e Podolski; Cacau. Técnico: Joachim Löw

Estados Unidos avançam na Copa em vitória dramática

Redação e agências nacionais

Mais parece história de filme americano, e não duvide se daqui há alguns anos isso acontecer, e o gol heroico de Landon Donovan aos 46 minutos do segundo tempo que classificou os Estados Unidos às oitavas de final da Copa do Mundo de 2010 estar nas telonas.

Até o gol do craque norte-americano, o país empatava sem gols com a Argélia, mas o tento salvador não só deu a vitória ao time do Tio Sam como eliminou a Eslovênia, que no jogo da chave perdeu para a Inglaterra também pela diferença mínima de placar.

No seu jogo, os EUA tentaram de todas as formas, mas não conseguiam superar a defesa rival. Durante a partida, foram perdidos dois gols incríveis, praticamente sem goleiro, em um, Altidore mandou por cima e para longe, no outro, Dempsey fez o mais difícil. Além dos gols perdidos, os Estados Unidos tiveram um gol anulado de forma polêmica, porém correta.

Com o resultado, a equipe comandada por Bob Bradley volta à segunda fase da Copa após ser eliminada precocemente em 2002. Com cinco pontos, ela ainda se classificou na primeira colocação do Grupo C, deixando a Inglaterra em segundo devido ao critério dos gols marcados.

Já a Argélia, que teria avançado às oitavas de final caso tivesse vencido por dois gols de vantagem, deixa o Mundial sem marcar gols.

Ficha do jogo:

Estados Unidos 1 x 0 Argélia

Local: Luftus Versfeld Stadium, em Pretória

Gol:
Estados Unidos: Donovan, aos 46min do segundo tempo

Cartões amarelos
Estados Unidos: Altidore e Beasley
Argélia: Yebda e Lacen

Cartão vermelho
Argélia: Yahia

Estados Unidos: Howard; Cherundolo, DeMerit, Bocanegra e Bornstein (Beasley); Donovan, Bradley, Edu (Buddle) e Dempsey; Gomez (Feilhaber) e Altidore. Técnico: Bob Bradley

Argélia: M'Bolhi; Bougherra, Halliche, Yahia; Kadir, Yebda, Lacen e Belhadj; Ziani (Guedioura) e Matmour (Saifi); Djebbour (Ghezzal). Técnico: Rabah Saadane

Inglaterra joga bem e se classifica

Redação e agências nacionais

A Inglaterra venceu a primeira partida na Copa do Mundo e finalmente apresentou um bom futebol. Hoje, em Port Elizabeth, a seleção inglesa venceu por 1 x 0 a Seleção da Eslovênia. Pelo placar apertado é possível imaginar que o jogo foi difícil, mas o time de Fabio Capello foi superior em boa parte dos 90 minutos, teve oportunidades de marcar mais gols além do de Jermain Defoe, mas mereceu os três pontos e ganhou moral para as oitavas de final.

Como a Seleção dos Estados Unidos venceram a Argélia no último minuto do outro jogo do grupo, a Inglaterra termina na segunda posição do Grupo C com cinco pontos, agora Inglaterra e Estados Unidos aguardam o encerramento do Grupo D, que também será hoje.

A Inglaterra que era líder da chave caiu para segundo com a vitória dos Estados Unidos pelo critério de gols a favor, a Eslovênia, que avançava mesmo com derrota, se despediu do Mundial depois do jogo ao saber que os norte-americanos venceram no último minuto. Os eslovenos acabaram na terceira posição com quatro pontos.

Agora os ingleses e também os americanos esperam seus adversários que sairão do Grupo D, podendo ser: Alemanha, Gana, Sérvia ou Austrália. Até aqui, os ganenses lideram com quatro pontos, seguidos pelos alemães e pelos sérvios com três e pelos australianos com um.

Os ingleses jogarão pelas oitavas de final no próximo domingo, às 11h (de Brasília) em Bloemfontein, contra o primeiro colocado do Grupo C. Nas quartas de final, em caso de vitória, enfrentariam o ganhador do duelo entre Argentina x México.

Ficha do jogo:

Eslovênia 0 x 1 Inglaterra

Local: Nelson Mandela Bay, em Port Elizabeth

Gol
Inglaterra: Defoe, aos 22min do 1º tempo

Cartões amarelos
Eslovênia: Jokic, Dedic, Birsa
Inglaterra: Glen Johnson

Eslovênia: Handanovic; Brecko, Suler, Cesar e Jokic; Kirm (Matavaz), Radosavljevic, Koren e Birsa; Novakovic e Ljubijankic (Dedic)
Técnico: Matjaz Kek

Inglaterra: James; Johnson, Terry, Upson e Ashley Cole; Milner, Lampard, Barry e Gerrard; Rooney (Joe Cole) e Defoe (Heskey)
Técnico: Fabio Capello

terça-feira, 22 de junho de 2010

LBV em apoio as vítimas das chuvas em Pernambuco

Assessoria

De parceria com a Coordenadoria de Defesa Civil de Pernambuco (Codecipe), a Legião da Boa Vontade (LBV) está mobilizando a população a fim de angariar doações para o socorro às vítimas das chuvas nas cidades mais atingidas no Estado. Para isso, colocou à disposição sua unidade de atendimento no Recife.

Os itens de maior necessidade são material de higiene pessoal e limpeza, água potável (galão de 5 litros), alimentos de pronto consumo, roupas e calçados. A Codecipe fará a entrega às vítimas de todo o material arrecadado.

A LBV solicita doações para a campanha e convida todos os que desejam tornar-se voluntários nessa ação solidária a dirigir-se ao Centro Comunitário e Educacional da Instituição, localizado na Rua dos Coelhos, 219, Boa Vista. Outras informações podem ser obtidas pelo tel. (81) 3413-8600 ou acessando-se o site www.lbv.org.br.

Argentina bate Grécia e avança invicta às oitavas

Redação e agências nacionais

A Argentina foi a campo com um time misto e não teve vida fácil para superar a retranca da Grécia nesta terça-feira, em Polokwane. Mesmo tendo dominado as ações durante toda a partida, a Seleção comandada por Maradona só conseguiu fazer 2 x 0, com gols marcados no fim do segundo tempo, por Demichelis e Palermo.

A vitória confirmou a liderança da equipe no grupo, com 100% de aproveitamento, embora a Grécia tenha lutado durante todo o jogo para marcar, acabou eliminada.

Nas oitavas de final da Copa do Mundo, a Argentina terá o mesmo adversário que teve em 2006: o México, que ficou com a segunda colocação do Grupo A. A outra vaga do Grupo B ficou com a Coreia do Sul, que empatou com a Nigéria por 2 x 2 e vai enfrentar o Uruguai na próxima fase.

Maradona poupou jogadores titulares, como Higuaín, Tevez e Mascherano. Messi, porém, começou jogando e recebeu a braçadeira de capitão. Do lado grego, o técnico Otto Rehhagel escalou um time ainda mais retrancado que o normal, com três zagueiros e cinco marcadores no meio, auxiliados pelo capitão Karagounis. Apenas Samaras ficava à frente.

A Grécia não tinha poder ofensivo, o time europeu se limitava a defender, com o claro objetivo de segurar o empate, insistia em bolas longas para Samaras quando conseguia ficar com a bola, e enquanto a pressão argentina aumentava, os gregos se seguravam.

Messi tentava jogadas individuais, mas recebia uma dura marcação individual de Papastathopoulos. Mesmo com a marcação, Messi foi eleito o melhor em campo pela FIFA, e por pouco não fez seu primeiro gol na Copa aos 40 minutos do segundo tempo, após driblar dois adversários na entrada da área e soltar a bomba, o chute acertou a trave. Três minutos depois, o camisa 10 novamente fez jogada individual e bateu; Tzorvas espalmou e, no rebote, o veterano Palermo conferiu para as redes, em sua estreia em Copas do Mundo.

Ficha do jogo:

Grécia 0 x 2 Argentina

Local: Estádio Peter Mokaba, Polokwane

Gols
Argentina: Demichelis, aos 32min, e Palermo, aos 43min do 2º tempo

Cartões amarelos
Grécia: Katsouranis
Argentina: Bolatti

Grécia: Tzorvas; Papadopoulos, Moras e Kyrgiakos; Vyntra, Katsouranis (Ninis), Papastathopoulos, Tziolis e Torosidis (Patsatzoglou); Karagounis (Spiropoulos); Samaras. Técnico: Otto Rehhagel

Argentina: Romero; Otamendi, Demichelis, Burdisso e Clemente Rodríguez; Bolatti, Verón e Maxi Rodríguez (Di María); Agüero (Pastore), Messi e Milito (Palermo). Técnico: Diego Maradona